Notícia postada em 10/07/2017
Faturamento da micro e pequena empresa volta a crescer
No primeiro trimestre, expansão foi de 3% na comparação com o mesmo período de 2016
Fonte: Diário do Comércio
Fique sabendo !
Imprimir  
 

Link: http://www.dcomercio.com.br/categoria/negocios/faturamento_da_micro_e_pequena_empresa_volta_a_crescer

O faturamento das micro e pequenas empresas cresceu 3%, em termos reais, no primeiro trimestre na comparação com igual período de 2016.

O resultado interrompe uma série de 11 trimestres consecutivos de queda na receita. Os dados fazem parte da pesquisa de conjuntura Indicadores Sebrae-SP.
Na divisão por setor, empresas de prestação de serviços apresentaram um crescimento de 6,9% no faturamento no primeiro trimestre, seguidas do comércio, com expansão de 3,5%. A indústria, porém, amargou uma queda de 10,3%.
O desempenho das MPEs em março contribuiu para o resultado. No mês, o faturamento ficou 8,2% maior do que em março de 2016, descontada a inflação. A receita total no período foi de R$ 53,9 bilhões, ou R$ 4,1 bilhões a mais do que a de março do ano passado.
Não fosse o resultado de fevereiro, as MPEs paulistas teriam registrado quatro meses seguidos de alta no faturamento. Em dezembro e janeiro, a elevação do faturamento das MPEs foi de 7,6% e 3,9%, respectivamente, em relação a iguais meses de um ano antes.
Mas em fevereiro, houve queda de 3,3% sobre igual mês de 2016, quebrando a sequência positiva. Contudo, caso fossem descontados os fatores sazonais, incluído aí o dia útil a menos, fevereiro teria apresentado crescimento de 3% na receita real.
“Enfim, um respiro. Os dados desse primeiro trimestre mostram que há uma evidente evolução dos ganhos dos pequenos negócios do Estado de São Paulo”, afirma o presidente do Sebrae-SP, Paulo Skaf.
A inflação baixa contribuiu para as vendas do segmento em março, ajudando a preservar o poder de compra das famílias, o grande consumidor dos pequenos negócios.
Também tem reflexos no resultado positivo a base fraca de comparação, já que no primeiro trimestre de 2016 o faturamento foi bastante deprimido.
Na análise por setor, o melhor desempenho em março foi o do comércio, cujo faturamento ficou 15% acima do de março de 2016. Na mesma comparação, os serviços registraram alta de 8,4% e a indústria amargou uma queda de 11,8%.
MEI
De acordo com a pesquisa, o faturamento do Microempreendedor Individual (MEI) recuou 0,2% em março em relação a igual mês do ano anterior. Houve, porém, uma redução no ritmo de queda.
Em fevereiro já havia ocorrido uma variação menor que nos meses anteriores. A receita total dos MEIs em março foi de R$ 3,7 bilhões, R$ 7,8 milhões abaixo do registrado em março de 2016.
Por regiões, o interior vem apresentando desempenho melhor, com um crescimento de 2% no faturamento em março. Já a região metropolitana de São Paulo apresentou um recuo 2,1% no faturamento no mesmo período.
Quanto aos setores, os MEIs da indústria apresentaram elevação de 11,8% no faturamento em março. Comércio e serviços foram no sentido contrário, com retração de 5,7% e 0,8%, respectivamente.